Organizado por Lori Marli DSantos - Coordenadora do Instituto André Luiz
Divulgação Espírita Virtual - Curitiba, PR -
© 1999-2014 - All Rights Reserved

 

"André Luiz não se destacou por acaso ou porque teve a "sorte" de escrever algo que os encarnados amaram e ainda amam ler. André Luiz destacou-se por méritos próprios, antes de mais nada, e teve o serviço porque, conforme palavras de Genésio, ministro da Regeneração, ele estava pronto como servidor." - Lori M. dos Santos, Instituto André Luiz


Pergunta enviada por Tiago Cordeiro, redator da revista Aventuras na História, editora Abril: - Quais foram as encarnações conhecidas de André Luiz antes de ele encarnar com esse nome? E depois de ele desencarnar?
Lori: - Vamos esclarecer primeiramente isso aí, a questão do nome. André Luiz, como encarnado, nunca existiu. É um pseudônimo usado para assinar sua obra. E reza a lenda foi assim que surgiu André Luiz: certo dia um espírito apresentou-se a Chico Xavier dizendo que ditaria alguns livros, e este quis saber quem era ele.
Como resposta, uma contra-pergunta:
- Como é nome do rapazinho que dorme aí no quarto ao lado?
Referia-se ao meio-irmão de Chico.
- André Luiz. - respondeu o médium.
- Então doravante será este o meu nome.
E assim foi. Nunca, jamais, revelou seu verdadeiro nome a alguém.
Segundo o próprio André Luiz relata no livro "Nosso Lar", sua última encarnação foi no Rio de Janeiro, começo do século XX, na figura de um bem sucedido médico sanitarista.
Quanto a alguma encarnação sua após apresentar-se como André Luiz, não temos notícias sobre o assunto. Notícias apenas sobre o renascimento de Emmanuel, há menos de dez anos, acontecimento cuja veracidade apenas o tempo confirmará, mas André Luiz, ao que consta, não reencarnou e nem reencarnará tão cedo.

Pergunta enviada por Tiago Cordeiro, redator da revista Aventuras na História, editora Abril: - Sabe-se quem foi André Luiz? Onde nasceu, quanto tempo viveu, qual foi sua profissão? Por que ele optou por se apresentar no anonimato? É possível mesmo que ele tenha sido Carlos Chagas, Oswaldo Cruz ou Faustino Esposel?
Lori: - Como já respondemos anteriormente, a última encarnação de André Luiz foi no Rio de Janeiro, no começo do século XX. Filho de pais ricos, e bem jovem ainda, formou-se em Medicina, trabalhando nessa função até a morte, por volta dos quarenta anos.
Dificilmente saberemos quem foi realmente André Luiz de fato, caso ele jamais revele sua identidade pessoalmente. Existem pistas relevantes, mas a palavra final deve ser dele mesmo. Emmanuel, no prefácio de "Nosso Lar", alerta que em vão os companheiros encarnados procurarão o médico André Luiz nos catálogos da convenção. E prossegue, explicando os motivos que levaram André Luiz a encobrir sua verdadeira identidade: "Por vezes, o anonimato é filho do legítimo entendimento e do verdadeiro amor. Para redimirmos o passado escabroso, modificam-se tabelas da nomenclatura usual na reencarnação. Funciona o esquecimento temporário como bênção da Divina Misericórdia. André precisou, igualmente, cerrar a cortina sobre si mesmo. É por isso que não podemos apresentar o médico terrestre e autor humano, mas sim o novo amigo e irmão na eternidade. Por trazer valiosas impressões aos companheiros do mundo, necessitou despojar-se de todas as convenções, inclusive a do próprio nome, para não ferir corações amados, envolvidos ainda nos velhos mantos da ilusão. Os que colhem as espigas maduras, não devem ofender os que plantam a distância, nem perturbar a lavoura verde, ainda em flor."
Resumindo, o que Emmanuel sinalizava em breves palavras era o fato de que familiares de André Luiz permaneciam encarnados na Terra e que, por professarem outros credos que não o Espiritismo, ou por não professarem credo algum, ainda não se encontravam aptos a assimilar a sua nova realidade espiritual.
Alegam alguns espíritas que na verdade André Luiz quis poupar Chico de um possível processo judicial, qual o que moveu a família de um renomado escritor desencarnado contra o médium mineiro, em busca de ressarcimento pelos direitos autorais de que se julgavam detentores ad infinitum. Outros, levantam a hipótese de não ter sido André Luiz alguém muito estimado em vida, fato que impediria fosse bem aceito depois de morto.
O fato é que, estimado de menos ou então estimado demais, a imagem ostentada em vida poderia de fato empanar o brilho da mensagem que trazia aos encarnados. Afinal, André Luiz mudara completamente seu modo de ser e pensar. Tinha agora outros ideais, outros sonhos, "deixara o mundo", enfim. Qual a graça em aplaudir o amigo que trocou de lado ou apedrejar o inimigo renovado? Nenhuma. Nisso tudo existe igualmente o fator "importância". O que é mais importante numa obra, o quadro ou o pintor? Melhor: o livro ou o escritor?
Entendem os espíritas que mais relevante foi e continua sendo a mensagem que André Luiz trouxe aos encarnados, a aguardada notícia da continuidade da vida para além da matéria frágil e perecível.
A história pessoal de André Luiz é retratada de forma nebulosa, confusa, tramada para despistar. O objetivo era e continua sendo o anonimato. André Luiz, acima de qualquer especulação, desejou se manter invisível por trás da notícia consoladora que trazia do Além-Túmulo. Não fosse isso, fosse só um suspense fabricado, um artifício para tornar a obra mais interessante e atrair mídia, o que não condiz em nada com os postulados espíritas, e o véu já teria caído há muito.
Como já afirmamos em sua biografia (http://www.institutoandreluiz.org/andreluiz.html), André Luiz se manteve fiel ao desejo de servir sem láureas, atento que estava ao compromisso com a verdade. Derramou desta forma bênçãos em forma de livros, sem curvar-se à curiosidade geral. O que importava mesmo, de fato, era o que tinha a dizer, de espírito à espírito.
Podemos apontar aí, sem dúvida alguma, o motivo do grande sucesso editorial de "Nosso Lar".
Um bom pintor se retrata através dos quadros que produz, assim como um bom escritor se descreve através de seus livros. Neste caso, precisando ser ambos, pintor e escritor, já que trazia à luz uma realidade nova, André Luiz ocultou a personalidade mundana para revelar a espiritual, absolutamente necessária para uma melhor compreensão da obra em si por parte dos encarnados.

Quanto aos médicos citados, esta é nossa análise quanto à probabilidade de um deles ser André Luiz:

CARLOS CHAGAS E OSWALDO CRUZ
Dentre os médicos citados como prováveis identidades do doutor espiritual, podemos descartar Oswaldo Cruz e Carlos Chagas logo de início. Muito embora a personalidade de Oswaldo Cruz se aproxime bastante da de André Luiz, os dados restantes não se cruzam, não batem. Além de que Oswaldo Cruz era profundamente religioso, o que André Luiz deixa bem claro nunca ter sido em vida.
Carlos Chagas teve enquanto vivo um temperamento exatamente oposto ao que André Luiz. Absorto em suas pesquisas, Chagas protagonizou inúmeras vezes episódios hilários causados por sua famosa distração. Dentre eles podemos citar uma certa noite, quando sua esposa (dona Íris) e ele receberam em casa a visita de amigos. Lá pelas tantas, cansado da conversa, levantou-se, apanhou o chapéu e disse: "Vamos querida, já é tarde." Surpresa, sua mulher respondeu sorrindo: "Mas querido, estamos na nossa casa!"
Este alheamento não combina com André Luiz, que se descreve na série "Nosso Lar" como alguém imensamente curioso e atento à vida ao derredor, Carlos Chagas, ao contrário, tinha olhos somente para suas pesquisas.

FAUSTINO ESPOSEL
Dos três citados na pergunta, Faustino Esposel é o que mais chama nossa atenção, por vários fatores. A conduta vibrante, a jovialidade, o temperamento agitado, a inteligência e perspicácia combinam profundamente com André Luiz. Naturalmente que alguns itens não batem, como a questão dos filhos: André Luiz conta ter tido três filhos e Faustino não teve nenhum, mas é sabido que André Luiz não disse tudo e muito do que disse foi alterado para impedir uma possível identificação. No mais, a brilhante pesquisa de Luciano dos Anjos nos coloca quase que frente a frente com o André Luiz de "Nosso Lar", coincidindo, inclusive, a figura de Faustino Esposel com o Espírito que se fez presente inúmeras vezes em nossos trabalhos e que assinou, inclusive, algumas mensagens e orações.
Segundo a pesquisa de Luciano dos Anjos, Faustino Monteiro Esposel nasceu na rua dos Araújos nº 10, bairro do Engenho Velho, cidade do Rio de Janeiro (registro 14º 69), em 10.8.1888 e desencarnou no Rio de Janeiro, às 17 horas de 16.9.1931, residindo então na rua Martins Ferreira nº 23, no bairro nobre de Botafogo.
Durante a busca pela verdadeira identidade do médico espiritual, Luciano dos Anjos localizou, inclusive, num casarão em Botafogo, RJ, a "garbosa palmeira" que André Luiz afirmava ter plantado junto com a esposa em seu lar terrestre e que, bem-humorados, alguns descendentes de sua parentela afirmam não ter sido tão garbosa assim...
Mais detalhes sobre a pesquisa de Luciano dos Anjos neste endereço:
http://www.institutoandreluiz.org/o_verdadeiro_andre_luiz.html

Para descontrair: Faustino Esposel foi um dos fundadores do Flamengo Futebol Clube. Este fato tem rendido, como não poderia deixar de ser, observações engraçadas. Em nosso Mural de Recados nos deparamos dia desses com um texto postado por um jovem e que dizia assim: "Se André Luiz fosse vascaíno, não teria passado tantos anos no Umbral."


Pergunta enviada por Tiago Cordeiro, redator da revista Aventuras na História, editora Abril: - Como se explica o grande sucesso de Nosso Lar? Em que aspectos ele é diferente de outros livros espíritas?
Lori: - Podemos dizer que "Nosso Lar" é diferente num aspecto, porém fundamental: ele é uma "revelação", fazendo parte, inquestionavelmente, da série de consolações que Jesus prometeu aos homens antes de sua crucificação. Aliás, toda obra de Chico Xavier pode ser inserida nesse contexto. Não fosse isso, o que levaria milhares de pessoas a se apaixonarem pelos livros ditados ao médium mineiro? A desejarem saber mais sobre o Espiritismo, a renovarem completamente mente e coração ao seu toque alentador?
As revelações, que de tempos em tempos "descem" do Céu para a Terra, modificando amplamente a paisagem social e moral do mundo, são verdades aguardadas ansiosamente pelo coração humano. Como exemplo, podemos citar a seguinte passagem bíblica: em João, cap. XIV, vv. 1 a 3, Jesus afirma que há muitas moradas na casa de seu Pai. Deixa claro que não há um céu apenas, mas muitos lugares para o homem no infinito e onde pode-se ficar em paz pois é casa do "Pai". E está implícito, na afirmativa de Jesus, que estas moradas só serão alcançadas após a morte, só estarão disponíveis ao ser humano espiritual, visto que se situam junto ao Pai, no "Céu" e não sobre a Terra material.
André Luiz, em "Nosso Lar" não só endossa a afirmativa de Jesus como ainda a ilustra, com fatos, pessoas e situações, tornando-a finalmente compreensível, ao alcance de todos entendimentos, do mais singelo até o mais culto.


Pergunta enviada por Tiago Cordeiro, redator da revista Aventuras na História, editora Abril: - Por que ele só se comunicou através de Chico Xavier? Existe a possibilidade de que ele volte a se comunicar?
Lori: - André Luiz não se comunicou apenas através de Chico Xavier, mas também por outros médiuns, desde sempre. Tanto que, ao fazer contato com Chico, na cidade de Pedro Leopoldo, ele já era conhecido de Waldo Vieira, em Uberaba.
Temos notícias de mensagens e até mesmo de livros ditados por ele a médiuns em diferentes localidades. Em alguns é possível identificar o traço de André Luiz, em outros não. Em nosso Instituto recebemos algumas mensagens assinadas por ele. Algumas, inequivocamente lhe pertencem. Outras, suscitam dúvidas. Por isso achamos melhor, pelo menos por ora, guardá-las sem alarde ou deslumbramento, para uma análise mais acurada posteriormente. Uma dessas mensagens - "Meu Coração é uma Estrela
**" -, caiu na Net e está sendo creditada à mediunidade de Chico Xavier, o que muito nos honra e também preocupa: bem sabemos o que sofreu Chico Xavier com textos e mensagens erroneamente atribuídas a ele.


Pergunta enviada por Tiago Cordeiro, redator da revista Aventuras na História, editora Abril: - Ele chegou a ajudar pacientes com medicina espiritual, de alguma forma?
Lori: - Diretamente, através de algum médium e com receituário, não. Não faz o perfil dele. Mas indiretamente, no plano espiritual e com equipes socorristas, com certeza sim. Não há como duvidar de que hoje André Luiz desempenha as funções de médico espiritual. Por suas palavras, em todos os seus livros, nota-se que sua renovação íntima o conduziu neste sentido. Estudava para isso, se dedicava com humildade e fervor para se tornar médico de almas. A Medicina era e com certeza prossegue sendo sua grande paixão.
No livro "Sexo e Destino" é possível notar que ele já começava a desempenhar a função, muito embora ainda acompanhado por instrutor mais capacitado.
Outro livro importante da série "Nosso Lar", "Libertação", mostra André Luiz não apenas como aprendiz da medicina espiritual mas também como alguém altamente capacitado a dirigir grandes agrupamentos espirituais. Seus superiores, precisando ausentar-se, confiaram em suas mãos a tarefa de coordenar, unir e manter pacificados milhares de desencarnados em situação difícil, tarefa desempenhada por ele com pleno êxito.
Disso tudo retiramos que André Luiz não se destacou por acaso ou porque teve a "sorte" de escrever algo que os encarnados amaram e ainda amam ler. André Luiz destacou-se por méritos próprios, antes de mais nada, e teve o serviço porque, segundo Genésio, ministro da Regeneração, ele estava pronto como servidor.
*


O INTERNAUTA PERGUNTA:

ANDRÉ LUIZ É UM ESPÍRITO DE LUZ?
Pergunta enviada pelo internauta Vicente P. Delgado: - Gostaria de saber se o André Luiz, é considerado um espírito de luz, pois participo de uma escolinha num centro de São Caetano do Sul, SP, e a palestrante disse que não e eu acabei não concordando. Obrigado e fiquem com a paz do Senhor.
Lori: - Olá, Vicente! Muito válido o seu questionamento. Allan Kardec, em O Livro dos Espíritos, classifica os espíritos em três ordens diferentes, o que muito auxilia e esclarece em momentos assim. A palestrante errou na denominação pois "Espírito de Luz" é um termo vago, passível de muitas interpretações. Um espírito bom pode ser ministrador de luz sem ser elevado. A luz de um bom ato ou bom pensamento é possível a qualquer um, encarnado ou desencarnado, seja de posição elevada ou não. Um espírito atrasado, arrependendo-se, transfere-se da sombra para a luz, aí modificando-se para melhor e expelindo de si, no esforço da correção, pensamentos que o iluminam e iluminam ao derredor. O fato de André Luiz ter transitado pelo Umbral pode ter levado a palestrante a concluir que ele é, ou era, um espírito atrasado. Mas após tantas boas notícias que ele nos trouxe da Espiritualidade, após tanto esforço em prol da própria renovação, para servir melhor, convenhamos que a luz de André Luiz hoje deve ser imensa e bela, não é mesmo?
Para dirimir qualquer dúvida, vamos ao que diz Kardec sobre os Espíritos e sobre as diferentes ordens a que pertencem. Leia, analise e deduza por si mesmo a que ordem André Luiz pertence.
Esperamos tê-lo ajudado.
Tudo de bom, Vicente, grande abraço e seja sempre feliz!

Diferentes ordens de Espíritos
97. As ordens ou graus de perfeição dos Espíritos são em número determinado?
- São ilimitadas em número, porque entre elas não há linhas de demarcação traçadas como barreiras, de sorte que as divisões podem ser multiplicadas ou restringidas livremente. Todavia, considerando-se os caracteres gerais dos Espíritos, elas podem reduzir-se a três principais: Na primeira, colocar-se-ão os que atingiram a perfeição máxima: os puros Espíritos. Formam a segunda os que chegaram ao meio da escala: o desejo do bem é o que neles predomina. Pertencerão à terceira os que ainda se acham na parte inferior da escala: os Espíritos imperfeitos. A ignorância, o desejo do mal e todas as paixões más que lhes retardam o progresso, eis o que os caracteriza.

98. Os Espíritos da segunda ordem, para os quais o bem constitui a preocupação dominante, têm o poder de praticá-lo?
- Cada um deles dispõe desse poder, de acordo com o grau de perfeição a que chegou. Assim, uns possuem a ciência, outros a sabedoria e a bondade. Todos, porém, ainda têm que sofrer provas.

99. Os da terceira categoria são todos essencialmente maus?
- Não; uns há que não fazem nem o mal nem o bem; outros, ao contrário, se comprazem no mal e ficam satisfeitos quando se lhes depara ocasião de praticá-lo. Há também os levianos ou estouvados, mais perturbadores do que malignos, que se comprazem antes na malícia do que na malvadez e cujo prazer consiste em mistificar e causar pequenas contrariedades, de que se riem. (Mais em O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, PARTE 2ª - CAPÍTULO I)


ANDRÉ LUIZ E ZÉLIA
Pergunta enviada pela internauta Adriana F. P: - André Luiz e Zélia tornaram a se encontrar? Existe alguma notícia acerca disso nos livros que ele escreveu? Eles reataram o casamento?
Lori: - Adriana, não temos notícia desse reencontro, que, com certeza aconteceu sim. Excetuada sua pouca religiosidade, nada indica que Zélia fosse um espírito endividado ou atrasado, incapaz de alçar vôos maiores após a desencarnação.
André Luiz continuamente deu notícias, em seus vários livros, das tarefas que desempenhava junto aos seus, na Terra; sabemos por ele mesmo do imenso carinho com que cuidava da família terrena. Então isso nos dá quase a certeza de que ele, em pessoa, recebeu Zélia no Além.
Se reataram o casamento, não sabemos. Mas a gente aqui torce por um final feliz. Afinal, André Luiz amava a esposa verdadeiramente.


ANDRÉ LUIZ E EMMANUEL
Pergunta enviada pelo internauta José Augusto B.: - Existe a possibilidade de André Luiz ser Emmanuel? Explico: há uma grande, enorme diferença entre o Emmanuel dos romances e o Emmanuel evangelista. Parecem dois espíritos diferentes. André Luiz é mais parecido com o Emmanuel do Há Dois Mil Anos. Também tem as mensagens. Algumas mensagens de Emmanuel são muito parecidas com as de André Luiz, a síntese e o jeito de escrever são parecidos. É possível isso?
Lori: - José Augusto, é a primeira vez que vemos alguém levantar essa hipótese. O anonimato de André Luiz mexe com a cabeça da gente, concordo, mas até onde sabemos, André Luiz e Emmanuel são espíritos distintos. Waldo Vieira, não obstante sua nova filosofia de vida, nada mais tendo a ver com o antigo médium, confirma que André Luiz e Emmanuel existem sim. André Luiz é um e Emmanuel é outro, cada qual com sua personalidade e modo de ser e agir. Pelo menos até prova em contrário. Abração!


ANDRÉ LUIZ EM PORTUGAL
Mensagem enviada pela internauta
Manuela Franklin (Portugal): - Estou a estudar a obra do irmão de LUZ André Luiz, chamo-me Manuela, tenho 46 anos, sou casada há 25 anos tenho uma filhinha linda que vai fazer 21 aninhos. Trabalho na área da saúde em Paliativos , frequento o centro espírita Mensageiros do Bem na Malveira, onde comecei a dar palestras, estou a estudar a obra do nosso irmão e estou apaixonada de coração , tanto para poder humildemente com os meus poucos conhecimentos no centro espírita que frequento como no trabalho , em auxilio aos irmão no desenlace. Surgiu-me na NET em investigação e estudo , e aqui estou eu me apresentando e desejando poder ser útil e aprender, sou portuguesa sempre morei aqui em Portugal, desejaria muito conhecer o Brasil mas hoje em dia com a NET o oceano que nos separa fica a distancia de um clique :) Com muito AMOR FRATERNO, Manuela.
Lori: - Manuela querida, seja bem-vinda ao nosso coração! A sua alegria e disposição são contagiantes. Ficamos felizes da vida com seu e-mail! Jesus a conserve sempre assim, de ânimo forte e feliz. A obra de André Luiz é sem dúvida fascinante. Há muito que aprender com ele, e aprender sempre. Li "Nosso Lar" há quase trinta anos e ainda hoje, sempre que preciso verificar algo no livro, vejo o quanto é ele é atual, o quanto ainda tem para me ensinar!
Seja muito abençoada em seu labor na Seara Espírita, Manuela, e que os bons Espíritos a iluminem e abençoem sempre. Abraço carinhoso a você e a todos nossos amigos em Portugal!


* Do livro "Nosso Lar", cap. 26: "Quando o discípulo está preparado, o Pai envia o instrutor. O mesmo se dá, relativamente ao trabalho. Quando o servidor está pronto, o serviço aparece." - Genésio, Ministro da Regeneração.

* * MEU CORAÇÃO É UMA ESTRELA
André Luiz
Meu coração é uma estrela, e eu fui criado para o bem e para a luz.
Não fui criado para o mal, nem para a corrupção.
Não recebi uma alma para transfigurá-la em espectro do lodo.
Não fui feito para o vício e a degradação.
Meu corpo é santuário sagrado criado para a exteriorização do amor e da luz.
Meus sentimentos são pérolas que não devo dividir com a imundície.
Meu pensamento é matéria sutil que devo dirigir para as criações superiores.
Minha vontade é alavanca que deseja meu Deus me projete no rumo da paz e da glória.
Situou-me Ele no mundo para que eu me livre do animal que ainda sou e não que o perpetue em mim.
Preparou-me Ele o espírito para a perfeição da angelitude e não para a degradação infamante da forma.
Soprou-me na mente o progresso e não o gelo da estagnação.
Portanto, estou no mundo em aprendizado e não em escravidão; em busca da luz e não das trevas; forjando a sublimação e não o retrocesso.

Situa-me, Senhor, dentro desta verdade, e me ampara os caminhos para que eu não ceda às tentações do mundo.
Que eu sirva quanto esteja em mim servir; que eu ame quanto possa; que estenda as mãos e ampare sempre; que esteja próximo quando necessitado; que eu caminhe distribuindo o melhor de mim; que possam contar comigo todos os irmãos do mundo, mas te peço Pai: não permite que que eu me iluda, me vicie e me perca nele, por ingenuidade ou invigilância e me afaste de Ti, para meu próprio prejuízo e infelicidade!...
Assim seja!
(Ditado por André Luiz, Instituto André Luiz, 15.06.2003)